(44) 3462-1763 / (44) 3462-2831
HORÁRIO DAS SESSÕES Todas as Segundas as 20:00 Última atualização: 29/08/2017
Área administrativa

QUERÊNCIA DO NORTE

Querência do Norte é conhecida como a Capital do Arroz Irrigado, destacando-se pela tecnologia aplicada e tem oportunidade de mostrar com orgulho esta sua marca durante a Festa do Arroz que a cada ano torna-se mais interessante e caminha para ser um dos produtos turísticos para o município.

Querência Origina-se do latim “quaerere”, adaptado para o espanhol platino “querência”, assumindo o sentido de lugar onde o gado costuma ficar, em sentido de translado; lar, querido lar, morada no jargão gaúcho, lugar de nascimento de uma pessoa. (AGC, FT).do Contração da preposição “de” (posse), com o artigo masculino “o”. Norte Origina-se do anglo-saxônico “north”, com referência ao ponto cardeal que se opõe ao sul, região ou regiões situadas ao norte. (ABHF, PJMS).

Em 1950, Carlos Antônio Franchelo e Ângelo Bortolli, da Companhia Colonizadora Brasil-Paraná Loteamentos S.A., resolveram lotear extensa gleba na região. O núcleo foi denominado Querência do Norte, sendo habitado por famílias sulistas. O nome do município foi dado pelos colonizadores em homenagem aos pioneiros, na maioria provinda do Estado do Rio Grande do Sul.. Em abril de 1953, já chegavam os primeiros colonos vindos principalmente do Rio Grande do Sul. A economia do Município é predominantemente agrícola e os solos do mesmo apresentam boa produtividade e aptidão para as mais diversas culturas. Dentre os pioneiros destacavam-se Otomal Eberhaldt, Eugênio Lange, Alexandre Roglio, Arcângelo Otomal, Albino Otomal, Aureliano Bispo de Mendonça, José Braga, Francisco Cearense, Saturnino Ferreira, Ernesto Ribeiro, Daniel Silveira, os Irmãos Zago e o dr. Herbert Franceslau. Em fins de 1951 tiveram início as primeiras aulas do curso primário, por iniciativa de Norma Patriche Borsato.

Pela Lei n.º 13, de 05 de agosto de 1953, foi criado o Distrito Administrativo. Em 26 de novembro de 1954, pela Lei Estadual n.º 253, foi criado o município de Querência do Norte, sendo instalado a 05 de dezembro de 1955. O primeiro prefeito municipal foi o Sr. Osório Ferreira Lemos.

É um município peculiar onde ficou muito conhecido pelas invasões de suas terras. Alguns episódios marcaram uma época conturbada como todo sistema de colonização, cada uma, respeitando-se suas formas de organização. O que vemos atualmente é um município produtivo com uma comunidade organizada e pacífica. Querência do Norte tornou-se um município atípico pelo número de assentamentos (total de 7) que ao passar do tempo foram se organizando e alguns servindo de modelo, graças a visão dos gestores municipais, que o colocam o município em destaque pela visão administrativa e que em breve terá manchetes na mídia como um paraíso para o lazer, pelo aproveitamento de suas belezas naturais.
Um diferencial muito especial do município é fartura de águas dos rios e sua ilhas e praias de águas doces.

Em seu território estão 66 Km de margens de Rio Paraná, com cinco portos: Felício, Natal, Dezoito, Brasílio e Floresta.

As comunidades destes portos estão recebendo capacitação e preparam-se para terem um receptivo turístico e poderem usufruir dos benefícios que o desenvolvimento do turismo sustentável trará para esta população ribeirinha e tornar seus portos conhecidos como: Portos da Cordialidade. 
É banhado também por 28 Km do Rio Ivaí, o que faz de Querência do Norte um dos municípios de maior potencial turístico no noroeste do Paraná.

Participa de dois Projetos Turísticos: Costa Rica (que integra os municípios margeados pelo rio Paraná) e projeto Corredor do Ivaí (que integra os municípios banhados pelo rio Ivaí).

Querência do Norte é conhecida como a Capital do Arroz Irrigado, destacando-se pela tecnologia aplicada e tem oportunidade de mostrar com orgulho esta sua marca durante a Festa do Arroz que a cada ano torna-se mais interessante e caminha para ser um dos produtos turísticos para o município.

O nome Querência vem da expressão gaúcha que significa “lugar querido, onde se pretende viver”. Como a maioria dos pioneiros eram de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, fica justificada a escolha para o nome do município.